domingo, 10 de abril de 2011

Batismo no Espírito Santo! O que diz a Bíblia?

Por: Ronaldo silva
A perfeição absoluta é algo que simplesmente não existe no ser humano nem em nada do que ele faz. Esta perfeição é algo que só existe em Deus e nas suas obras. Aquilo que ele fez imperfeito ele o fez por que assim o quis. Não que ele não pudesse, isto é óbvio. Por que então acreditar que existe uma igreja ou doutrina perfeita segundo os moldes humanos? Qual a razão de haver tantas religiões, tantas igrejas, tantas crenças diferentes mesmo entre aqueles que se servem da mesma fonte de informação como a Bíblia Sagrada, por exemplo? Se a Bíblia é uma só em todas as igrejas evangélicas, por que então tanta diferença nas doutrinas? A conclusão é a seguinte: todas elas são fundadas por homens comuns, sujeitos a falhas em suas interpretações, devido a alguma inclinação natural em suas crenças e até mesmo em seus preconceitos.
Até tu, Pedro?

Quem entre nós se atreveria a se colocar acima do apóstolo Pedro, homem aprovado por Deus, exaltado por Cristo como o príncipe dos apóstolos, a quem o Senhor entregou as chaves do Céu? A ele cabia pregar o evangelho num primeiro plano e até abrir a porta desta nova aliança também aos gentios, a quem ele, como judeu, não considerava dignos de conviverem como irmãos! Deus tentou quebrar este preconceito quando lhe mostrou numa visão celestial um lençol cheio de animais considerados imundos para os judeus, os quais o Senhor lhe dizia para matar e comer. Pedro recusou a proposta do Senhor dizendo que jamais comeu coisa imunda. O Senhor então o repreendeu dizendo a ele para não chamar de comum ou imundo aquilo que Ele santificara. Sabemos pelos relatos bíblicos que o apóstolo Pedro, mesmo obedecendo a ordem do Senhor, de levar o evangelho aos gentios, parece ter esquecido esta lição, pois continuou a evitar contato com eles mesmo depois de haver testificado aos seus irmãos judeus qual era a vontade do Senhor em relação aos gentios. Tanto é que se convencionou entre eles, os judeus e o apóstolo Paulo, pregarem uma espécie de dois evangelhos, assim chamados de evangelho da circuncisão e o evangelho da incircuncisão! O primeiro seria pregado aos judeus e o segundo aos gentios. 

Cuidado com as doutrinas de homens!

Em relação a certas doutrinas, vejo esta, entre os pentecostais, a respeito do batismo com o Espírito Santo. Alguns pontos de argumentação desta doutrina são tão falhos e prejudiciais ao exercício da fé cristã, quanto a doutrina da guarda do sábado pelos adventistas, as controvérsias a respeito do nome de Deus, pelas Testemunhas de Jeová, o uso de véus pelas mulheres na Congregação Cristã no Brasil, a chamada igreja local, defendida pelas igrejas batistas, que rejeitam categoricamente esta estória de igreja universal e invisível, e uma infinidade de outras doutrinas que em alguns casos levam os seus seguidores aos portais do inferno, quando estas doutrinas ferem pontos fundamentais e crucias para a salvação.
Desde o Antigo testamento somos advertidos a não seguirmos doutrinas ou mandamentos de homens. No Novo testamento Paulo nos adverte também contra as doutrinas de demônios. Tanto uma quanto a outra são contrastadas com a verdadeira e sã doutrina, que nos torna sábios para a salvação em Cristo Jesus e não admite qualquer tipo de divisão ou contenda.

Não bebemos todos de uma mesma fonte?

Na doutrina do batismo com o espírito Santo, a primeira grande falha que podemos perceber, é talvez, também a mais grave. É uma doutrina que divide! Ela não apenas divide opiniões entre os que crêem e os que não crêem. Ela divide em si própria as pessoas. Quando admite que uns são batizados pelo Espírito Santo e outros não, ela claramente divide a igreja em duas classes de pessoas: Os batizados com o Espírito Santo e os não batizados com o Espírito Santo. Os batizados são considerados crentes de primeira categoria. Pessoas que receberam de Deus algo mais que os outros! Uma unção diferente que transforma a pessoa numa espécie de Popeye cristão, como se tivesse comido uma porção super poderosa de espinafre! Ai, para dizer que são todos iguais, eles dizem: “Você também pode”. “ Esta bênção é para você também, basta ir buscá-la”. Esquecem-se, porém, que uma pessoa pode passar 20 ou 30 anos da sua vida “buscando” ou esperando esta bênção, e na imensa maioria das vezes acaba morrendo sem provar da tal “poção mágica” tão poderosa. Perdoem-me falar assim mas  eles parecem buscar este poder numa outra fonte e não no Espírito de Deus do qual todos temos bebido! Enquanto isso a pessoa passou a vida inteira vivendo numa igreja e entre um povo que o olha apenas como um simples e miserável cristão que não consegue e nem possui o mesmo brilho e glamour dos super batizados! Isto certamente é algo tão absurdo e tão antibíblico quanto acreditar no purgatório! Por isso afirmo que não passa de uma doutrina de homens, não de Cristo. A infeliz conjectura de que alguém pode TER o Espírito Santo, mas NÃO SER batizada com Ele, é simplesmente ridícula. Pois o batismo nada mais é do que a vinda, a descida do Espírito Santo sobre a pessoa para nela habitar. Dizer que depois desta etapa precisamos implorar a Deus para que ele nos batize é dar murro em ponta de faca! É impraticável e requer muita habilidade para torcer a Palavra de Deus que nos diz: “Mas RECEBEREIS PODER, AO DESCER SOBRE VÓS O ESPÍRITO SANTO, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 1.8.

Uma análise segura da doutrina bíblica
Do batismo no Espírito Santo

Estou cansado de afirmar a respeito de outros dois pontos absurdos desta doutrina, mas vou me esforçar para falar mais uma vez. Antes, porém, para desfazer o equívoco que esta divisão traz, quero citar a própria Bíblia. Assim o apóstolo Paulo escreve visando desencorajar qualquer tipo de DIVISÃO dentro da igreja. Isto é algo muito grave e deveria despertar a consciência daqueles que detestam divisão:

“ORA, irmãos não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar.
E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar,
E todos comeram dum mesmo manjar espiritual,
E beberam todos duma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo.
Mas Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto.”
I CORÍNTIOS 10.1-5

Note que ele está tirando exemplos do Velho Testamento! Para que você não perca o raciocínio, continue lendo:

Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.
I CORÍNTIOS 12.13

“Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros.” I CORÍNTIOS 12.25

A comparação entre o que aconteceu no deserto com o povo de Israel e o que acontece conosco hoje é bem simples: TODOS eles comeram de um mesmo manjar e TODOS beberam de uma mesma fonte. Nenhum deles poderia se queixar de um tratamento diferente que os tivesse feito fracassar naquela caminhada! Da mesma forma TODOS temos bebido de um mesmo Espírito e de uma mesma fonte. Mas segundo querem os defensores da EVIDÊNCIA INICIAL DE FALAR LÍNGUAS ESTRANHAS, parece que eles beberam de uma fonte diferente e ficaram mais fortes, mais bem preparados. E agora eles possuem também uma áurea especial que os torna mais santos e capacitados para fazerem a obra de Deus! No entanto é notável como estes crentes fracassam e pecam como qualquer outro! O super revestimento que eles dizem possuir não os livra das quedas, dos adultérios, das falsidades, das mentiras, das intrigas, da mornidão espiritual e principalmente da inércia em testemunhar de Cristo aos perdidos!

Um dos dois pontos que eu queria salientar também é a questão da BUSCA PELO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO. Por que razão pessoas cultas e entendidas enveredam pelo caminho do erro, se possuem discernimento o bastante para entender coisas tão simples? Não acredito que uma pessoa que leu a Bíblia do começo ao fim, estudou teologia, alcançou um doutorado, estudou as línguas originais da Bíblia e mesmo assim defenda doutrinas que não possuem nenhum apoio bíblico! Sabe o que se passa com estas pessoas? Vaidade humana! Espírito contencioso e indulgente. Soberba humana. Responda-me, por favor: Onde é que a Bíblia autoriza, exorta ou recomenda BUSCAR o batismo com o Espírito Santo? Qual apóstolo de Jesus Cristo, profeta ou cooperador dos apóstolos mandou, pediu ou ensinou a BUSCAR este batismo? A resposta é: NENHUM. Segundo sabemos, quem fez a promessa de batizar com o Espírito Santo foi Jesus e a recomendação dele foi a seguinte: “FICAI em Jerusalém e ESPERAI!”  E foi o que eles fizeram diligentemente! Depois de 50 (cinqüenta) dias, Cristo cumpriu a promessa. Não foram 50 anos, nem 30, nem 20 , nem dez! Foram apenas alguns dias! E TODOS foram batizados no Espírito Santo. Eles permaneceram orando enquanto esperavam, mas não estavam BUSCANDO. Quanto aos sinais operados pela vinda do Espírito Santo naquela ocasião, eles nunca mais se repetiram. Lembram do sonido de buzina, o barulho do vento e a chama de fogo visível sobre a cabeça de cada um deles? Só faltava agora os defensores desta doutrina querer que apareça um “foguinho” na cabeça das pessoas sobre quem o Espírito Santo vem hoje em dia. Quanto às línguas estranhas, somos ensinados pelo apóstolo Paulo que se trata de um dom espiritual e que nem todos possuem este dom. Portanto alguns podem falar e outros não, no momento em que o Espírito vem sobre eles. 

A outra coisa a que me refiro como ponto absurdo para a sustentação desta doutrina é a respeito da EVIDÊNCIA. Dizem eles que a pessoa só é batizada no Espírito Santo se falar em línguas estranhas inicialmente. Quer dizer, deve falar pelo menos uma vez. E para que serviria isso? Isso seria o sinal, a EVIDÊNCIA de que a pessoa recebera o batismo! Mas evidência para quê e para quem? No caso do apóstolo Pedro na casa de Cornélio, isso serviu para convencer a ele próprio e mais tarde aos seus compatriotas, pois ainda se mostravam reticentes quanto à ordem do Senhor de que ninguém no mundo deveria ser excluído de ouvir as boas novas da salvação. Ele cumpriu o seu papel abrindo as portas do evangelho também aos gentios. Mas, e hoje, para que serviria esta evidência? A quem devemos PROVAR que somos batizados no Espírito Santo de Deus? Para quem serviria esta evidência? Eu direi a seguir como e para que Deus manifesta estes dons.
SE alguém deseja entender esta doutrina deve ler os Capítulos, 12, 13 e 14 de I Coríntios. A parte que queremos destacar inicialmente está no Capítulo 12:

4 Ora há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
5 E há diversidade de ministérios, mas o SENHOR é o mesmo.
6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
7 Mas a MANIFESTAÇÃO do Espírito é dada a cada um, para o que for ÚTIL.

Ora, aqui está o segredo da EVIDÊNCIA. Ela é dada para aquilo que for ÚTIL. Não há obrigatoriedade nenhuma em falar línguas estranhas, mesmo por que não havendo quem a interprete ela não é útil a não ser para a pessoa que a possui!

8 Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9 E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10 E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
11 Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.

Note as palavras “a outro”, não ao mesmo! Perceba também que a um é dado o dom de línguas e “a outro”, o dom de interpretar.

12 Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.
13 Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.

Aqui está mais uma vez um versículo que dispensa interpretações, a menos que seja para deturpá-lo!

14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.
15 Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; não será por isso do corpo?
16 E se a orelha disser: Porque não sou olho não sou do corpo; não será por isso do corpo?
17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfacto?
18 Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis.
19 E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo?
20 Agora pois há muitos membros, mas um corpo.

E se todos os membros da igreja falassem línguas estranhas, onde estaria o que deveria interpretá-las, já que o Senhor não quer que “apenas um indivíduo se torne em uma igreja ambulante” detendo ele sozinho todos os dons! E por incrível que pareça toda esta confusão na igreja dos Coríntios era exatamente por isso: Todos os membros queriam falar línguas estranhas. Por esta razão o apóstolo Paulo fez questão de demonstrar que o dom de línguas era inferior a outros dons. E que isso não era tão importante como eles imaginavam. Acontece que havia entre eles certos dons que não eram tão espalhafatosos nem tão EVIDENTES quanto o dom de línguas. Aquele que ao ser batizado no Espírito Santo recebesse o dom de curar, ou de sabedoria, ou de discernimento de espíritos, achava que não recebera nada! Na doutrina pentecostal hoje, esses crentes que recebessem dons do Espírito Santo, mas que não falassem em línguas, não seriam considerados batizados! Quanta ignorância!

27 Ora vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.
28 E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.
29 Porventura são todos apóstolos? São todos profetas? São todos doutores? São todos operadores de milagres?
30 Têm todos o dom de curar? Falam todos diversas línguas? Interpretam-na todos?

Se você puder responder SIM a todas as perguntas que Paulo faz nestes versículos, então todos os crentes, OBRIGATORIAMENTE devem falar em línguas estranhas. Nem que para isso eles sejam obrigados a inventar todo o tipo de frase absurda e sem sentido. Um falatório ridículo, decorado, de duas ou três palavras que às vezes causa muito constrangimento, pois que tais palavras não passam de invenção de mentes rebeldes e desobedientes à Palavra de Deus. Pois Deus não é de confusão, mas sim de paz.

31 Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente.

Agora sim, somos exortados a BUSCAR com zelo os melhores dons. E sempre poderemos nos encher do Espírito Santo, buscando a Deus em fervente oração. Quanto à importância que damos a estas manifestações do Espírito Santo, referente aos nossos dons, o apóstolo nos mostra algo muito melhor e de um valor superior a todas estas manifestações, afinal, sem o amor a Deus e ao próximo tudo o mais é em vão.

Ronaldo Silva
Gravataí, 08 de abril de 2011

3 comentários: